terça-feira, 22 de Julho de 2014

Hello Hello!
Como vos disse no post anterior tenho andado um pouco atarefada com o trabalho e as minhas passagens pelos festivais... Portanto, hoje venho partilhar com vocês mais uma pequena aventura, desta vez pelo Happy Holi - O Festival das Cores! Este evento teve início no ano passado e fiquei desde logo fã! As cores, a música e o ambiente contagiam qualquer um e ninguém, mesmo ninguém consegue ficar indiferente.

A edição do Porto deste ano realizou-se no Estádio Universitário (ao contrário do ano anterior que teve como localização o queimódromo) e contou novamente com a presença de vários DJ's convidados como Funk You 2 e Diego Miranda. Apesar da variedade de artistas, as músicas tornavam-se repetitivas, já que todos eles tinham um remix diferente de todas as músicas da moda. Deveria ter havido algum tipo de organização em termos de banda sonora... Outra coisa que notei nesta edição foi a quantidade descomunal de crianças e adolescentes. Estes andavam doidos, sem qualquer tipo de supervisão parental e em trajes reveladores demais. Para não falar no álcool que era vendido a menores. A maior parte andava com garrafinhas de Super Bock Green (sim, tem pouco álcool, mas tem.) na mão e não vi uma única pessoa a pedir os BI's desses mesmos adolescentes. Para mim, um erro colossal da parte dos vendedores.

Deixo-vos com alguns momentos:
No geral, foi uma tarde bem passada e cheia de cor! Mas, comparando com a edição anterior, não me fascinou de todo. Espero que para o próximo ano seja melhor organizado e menos repetitivo, mas aconselho vivamente a quem queira passar um serão diferente com a família e/ou amigos!

E vocês, já participaram neste Festival ou em algum evento parecido?
Se sim, qual a vossa opinião?

LOVE,

Olá Festivaleiras!
Estes últimos dias têm sido um frenesim autentico para mim... Entre trabalho e festivais, mal tenho conseguido um tempinho para me sentar. Mas, como quem anda por gosto, não cansa, não me posso queixar... 
De facto, hoje venho falar-vos da minha experiência pelo Festival Meo Marés Vivas! Ter um evento assim mesmo à beirinha de casa, é algo que não se pode perder, portanto, lá rumei eu ao Cabedelo! Confesso que o cartaz, não foi de todo o melhor, mas surpreendeu-me bastante pela positiva e, mais uma vez, adorei a experiência!
[The Lazy Faithful]

A aventura teve início no dia 17 e não poderia ter começado de melhor forma! Chegamos lá cedinho e tivemos a oportunidade de ver os portugueses The Lazy Faithful a atuarem no Palco Santa Casa. Já os conhecia, mas nunca os tinha visto ao vivo... Arrasaram, sem dúvida alguma! De seguida, demos umas voltas pelo recinto, juntamos alguns brindes e jantamos por lá umas bifanas. Acho que as bifanas foram mesmo o ponto baixo deste dia, estavam realmente horríveis... Já no Palco Principal, vimos primeiro Skindred, que para mim foi uma péssima abertura do espectáculo... Mas acho que esta opinião se deve mais ao meu gosto pessoal, já que havia um bom grupo de pessoas a curtir imenso. Modestep foi para mim a grande surpresa deste dia! Não conhecia e fiquei fã, mesmo não gostando muito de dubstep. Conseguiram cativar o publico e as suas batidas só melhoravam à medida em que o concerto continuava! A música Sunlight não me sai da cabeça e não queria que aquele concerto terminasse nunca! Foi incrível! Depois de Modestep, foi a vez dos nossos conhecidos Xutos e Pontapés que, mais uma vez nos brindaram com um concerto maravilhoso! Foi incrível ver aquela gente toda a cantar em uníssono as letras conhecidas da banda portuguesa. The Prodigy foi a banda mais esperada da noite e, quando esta subiu ao palco, o publico foi ao rubro e vibrou em todas as músicas! O ambiente mudou por completo no recinto e, a banda britânica estabeleceu o seu próprio ritmo pela plateia do Marés Vivas. 
[James Arthur com a bandeira de Portugal]

O segundo dia de festival, foi para mim o mais aguardado. Talvez até para o resto das pessoas, já que no recinto, reinava o caos! Estava gente por todo o lado e era uma tarefa difícil chegar a qualquer lado: as filas para as barraquinhas dos patrocinadores do evento, assim como para a restauração estavam enormes e conseguir fazer alguma coisa, era uma missão penosa. Queríamos assistir ao concerto do grupo português Plaza, mas tal tornou-se impossível, pois não conseguimos chegar a tempo por causa do trânsito. Esta foi sem dúvida o momento baixo deste dia, já que aguardávamos ansiosamente por esta atuação. Enquanto tocavam os Clã, já no Palco Principal, enfrentamos a fila da Pizza Hut. Pedimos umas pizzas e fomos depois assistir ao resto do concerto da banda portuguesa, que não me encantou nem um pouco (mas talvez fosse novamente pelos meus gostos pessoais e não pela prestação da banda em palco). A famosa chuva decidiu aparecer enquanto jantávamos e, por sorte conseguimos encontrar abrigo debaixo da barraca do Licor Beirão onde, mais tarde, bebi um Morangão delicioso! James Arthur, foi o nosso artista esperado da noite e, por ele enfrentamos a chuva! Foi um concerto memorável, onde os dotes vocais do cantor não se mostraram acanhados! De facto, foi uma atuação fantástica, que acabou ao som da Impossible, a música (original da Shontelle) que lhe deu a vitória no X Factor do Reino Unido. Seguiu-se então James, que não vi. Não tenho ainda a certeza se fico triste ou não, já que ouvi e li criticas muito diferentes quanto à sua atuação. Decidimos afastar-nos um pouco da chuva e ouvir um pouco de música electrónica no palco secundário. Skrillex, o rapaz franzino com o seu corte de cabelo famoso, foi quem fechou este segundo dia! Enfrentar o dilúvio foi algo de que não me arrependo de todo de ter feito, foi uma atuação incrível! Este mostrou-se animado e cheio de energia, o que cativou o publico, mesmo debaixo de chuva intensa! 
O último dia de festival, foi para mim o menos aguardado e o menos apelativo. Não houve nenhum artista que quisesse realmente ver e não estava ansiosa por nenhum deles. Ainda assim foi um dia divertido! Os portugueses We Trust foram os primeiros a subir ao palco principal e, apesar da assistência não estar sequer a meio, deram um bom concerto e as suas batidas conseguiram fazer mexer quem por ali estava. Os The Gift, também eles portugueses, deram para mim um concerto enfadonho e os Portishead, não me cativaram. Foi Joss Stone, que fechou o festival em grande! A sua beleza encantou novamente o publico português e o seu vozeirão deixou-nos a todos de boca aberta! Sempre sorridente e animada, a cantora fez um concerto memorável e conquistou mais uma vez os nossos corações!

O post é longo, mas decidi que seria engraçado partilhar com vocês a minha pequena experiência pelo Meo Marés Vivas. No geral, foi um bom festival e voltarei para a próxima edição, sem dúvida!

Vocês também foram? O que acharam de tudo? 
Qual o vosso artista favorito de todo o festival?

Love always,

quarta-feira, 9 de Julho de 2014

Well Hello There!
Eu sei, eu sei... Tenho andado um pouco desaparecida por aqui, mas como estou a trabalhar full time neste momento, são poucos os momentos que tenho para vir ao computador e preparar coisinhas bonitas para vocês! E os momentos que tenho, aproveito-os ao máximo para estar com as pessoas que gosto e para descansar um bocadinho! Seja como for, já organizei um bocadinho melhor o meu tempo e em breve irei publicar com regularidade novamente, dia sim, dia não! 

Entretanto, hoje decidi partilhar com vocês o meu batido favorito, já que estes estão cada vez mais famosos e cada vez mais pessoas os fazem! É uma bebida que preparo há alguns aninhos e continua a ser a melhor! 

Apresento-vos o meu batido de banana!
[ Cup is from Primark! ]
Se quiseres experimentar a minha versão vais precisar de:
LEITE | 1 BANANA | MEL | CANELA 
Junta a banana, o leite e uma colher de mel num recipiente e passa tudo com uma varinha mágica. Podes sempre acrescentar mais um pouco de leite se achares a textura demasiado grossa. Depois polvilha o batido com um pouco de canela em pó e mexe tudo! A canela vai fazer o sabor da banana e do mel sobressair!

E vocês, têm algum batido favorito?
Quais as vossas receitas?

LOVE,

terça-feira, 1 de Julho de 2014

Hello City Lovers!
Talvez não saibam isto sobre mim, afinal de contas, nunca partilhei nada do género... Mas... Sou uma apaixonada pela moda futurista, ou pós apocalíptica! Sim, de facto acho que se identifica totalmente comigo e, se pudesse vestia-me assim todos os dias! Sempre gostei de coisas diferentes e de tons mais escuros, como o preto e o cinzento e, sempre que vejo filmes futuristas com este tipo de visuais, fico maravilhada! Acho que dá um ar misterioso e poderoso a qualquer pessoa! E, apesar de ainda não se ver muito e de não ser para todos os gostos, é um estilo que está cada vez mais em voga!

Estas imagens são de uma marca chamada Demobaza. Podem ver mais look pós apocalípticos - aqui

O que acham vocês desta moda?
Usariam ou nem por isso?

LOVE,

domingo, 29 de Junho de 2014

Hello Hello!
Hoje não vos venho falar de moda, mas sim de algo diferente: a minha experiência da exposição "3D Magic Art"! Esta exposição esteve aberta ao público até hoje, na Alfândega do Porto e, felizmente, tive a oportunidade de a visitar ontem! Queria visitá-la há algum tempo e finalmente a oportunidade surgiu. Foi uma aventura engraçada e diferente mas, infelizmente, tenho alguns aspectos menos bons a apontar...

Como poderão reparar pela má qualidade das fotos que vos deixo mais abaixo, o recinto não estava de todo bem equipado em termos de iluminação para receber uma exposição destas... Ainda por cima, o uso de flash era desaconselhado nos avisos e, de facto, o flash só piorava as fotos.
Para além disto, não existia qualquer tipo de supervisão dentro da exposição. Ou seja, esperava-se apenas o bom senso das pessoas para não estragarem as "obras". O que, como todos nós sabemos, não funciona lá muito bem na maioria dos casos... Não sei se foi só nestes últimos dias que isso aconteceu ou se foi sempre assim, mas esperava um monitor ou dois que tirasse dúvidas ou ajudasse as pessoas em alguns momentos.
Tirando isso, não tenho muito mais a apontar, foi uma experiência engraçada, mas não muito. Resumindo: esperava mais e melhor. 

Deixo-vos com alguns registos da minha visita:


E vocês, tiveram a oportunidade de passar por lá?
Se sim, como foi a vossa experiência?

LOVE ALWAYS,